domingo, 16 de dezembro de 2012

Primeiras casas são entregues aos moradores do Jardim Campos Verdes

Do caderno especial Campos Verdes: o resgate da cidadania, publicado pelo CAMBÉ DE FATO.


As primeiras casas são entregues aos moradores

As primeiras famílias do Jardim Campos Verdes já receberam suas novas casas, construídas no bairro pelo Programa Minha Casa, Minha Vida, do Ministério das Cidades. As nove primeiras famílias receberam as chaves das moradias em cerimônia realizada no Salão Comunitário do bairro que contou com a presença do prefeito de Cambé, João Pavinato, da vice-prefeita Cidinha Pascueto, do superintendente regional da Caixa do Norte do Paraná, Elcio Jose Coelho de Lara, dos vereadores Junior Felix e Mario Som, dos secretários municipais Angela Cristina Pascueto Amaral (Assistência Social), de Planejamento (Fausto Anami), e de governo (Luiz Cesar Lazari), entre outros secretários e autoridades municipais. Também presente, a presidente da Associação de Moradores do Campos Verdes, Neide Olimpio, emocionou o público ao fazer seu agradecimento às autoridades pelo investimento no bairro. “Hoje posso ver, com alegria, os caminhões das lojas de móveis entregando móveis e eletrodomésticos novos para a gente do Campos Verdes. Antes, eles não desciam aqui na vila”, conta a líder comunitária (veja depoimento de Neide Olímpio na página 06).
Durante a entrega das chaves, também foram apresentadas as obras de pavimentação e de infra-estrutura do bairro. Segundo o prefeito João Pavinato cerca de 40% da pavimentação asfáltica do Campos Verdes estão prontas, além da infra-estrutura necessária que compreende a rede de coleta de esgoto, as galeriais de águas pluviais e parte dos equipamentos públicos básicos.
O prefeito de Cambé também agradeceu todos que direta ou indiretamente contribuíram para realizar o investimento no Campos Verdes. “O montante que está sendo investido no Campos Verdes representa mais de 10% do orçamento anual da Prefeitura. Sozinhos nós não teríamos condições de fazer todo esse investimento, por isso fomos buscar recursos junto ao Governo Federal para que essas famílias pudessem hoje presenciar esse momento tão importante”, acrescentou Pavinato, que agradeceu também a presidente Dilma Roussef e o governador Beto Richa.

Projeto conjunto - O projeto de urbanização do Jardim Campos Verdes foi elaborado pela Prefeitura de Cambé e inscrito junto ao Ministério da Cidades, para reivindicar recursos do governo Federal, necessários para a intervenção. O projeto foi aprovado pelo Ministério das Cidades no dia 23 de dezembro de 2010. De lá para cá, foram meses de trabalho da equipe técnica interdisciplinar da Prefeitura, com apoio da Cohab de Londrina e dos técnicos da Caixa Econômica Federal, entre outros, para viabilizar as obras, que foram iniciadas em agosto deste ano.
O investimento total é de R$18,4 milhões oriundos do PAC 2 e do Programa Minha Casa, Minha Vida. Cerca de R$ 4,6 milhões estão sendo investidos em obras de saneamento (rede de água e esgoto), galerias de águas pluviais, meio-fio, calçadas e pavimentação asfáltica. Outros R$ 13,8 milhões estão sendo investidos na construção de 284 casas, que serão realizadas em duas etapas. O bairro também vai ganhar uma creche (CMEI), um CRAS – Centro de Referência  e Assistência Social e uma praça com quadra poliesportiva e uma academia ao ar livre.
O projeto do Campos Verdes também teve a importante participação da Cohab de Londrina e do Governo do Paraná, através da Sanepar, da Copel, do Instituto das Águas e da Cohapar.

Entregas parceladas – Segundo a Caixa as casas têm casas têm área construída entre 35,6 m² e  42,5 m² (para portadores de necessidades especiais). Ainda segundo a entidade, as demais famílias receberão suas casas em intervalos de 15 dias, com a entrega de dez a 15 unidades em cada ato.

As primeiras ruas já estão asfaltadas

Os moradores do Jardim Campos Verdes também estão comemorando a pavimentação das ruas do bairro, dentro do programa de investimentos que a Prefeitura de Cambé e os Governos Federal e Estadual estão realizando no local.
“Estamos muito felizes. Não esperávamos que acontecesse o que está acontecendo aqui no Jardim Campos Verdes”, expõe Carmo Lemes de Oliveira, servente de pedreiro de 56 anos.
Pioneiro no bairro, João Ferreira chegou ao Jardim Campos Verdes junto às primeiras famílias que se assentaram no local no ano de 1993. Ali, criou seus dois filhos. “As pessoas chegavam até aqui, mediam o terreno e já faziam o barraquinho. Não tínhamos água encanada, então emendávamos mangueiras do Jardim Turquino, em Londrina, até aqui em baixo. Agora teremos tudo, está ficando muito bonito”, diz Ferreira.
Mãe de dois filhos, Adriana Ferreira Campo não se incomoda com o barulho das máquinas operando ao lado de sua casa na Rua Monte Sião. Ela diz que o som dos tratores e caminhões soa como música, entoando o desenvolvimento tão esperado pelos moradores. “Estou muito feliz, não vejo a hora de ter minha casa. Estou muito emocionada porque nunca tive uma casa e agora eu consegui ter, que está sendo construída. Todos estão esperando ansiosamente”, diz emocionada a moradora. 
Segundo o gestor de Convênios da Prefeitura de Cambé, Marcos Rogério Gabriel, cerca de 40% do bairro já foi pavimentado e o restante das ruas segue em ritmo acelerado. “O bairro todo já recebeu a rede de galerias de águas pluviais e as primeiras ruas já estão pavimentadas, com a construção de meio-fio e de calçada, para a segurança dos pedestres”, diz o gestor Marcos Rogério Gabriel.

Católicos constroem Centro Social para a comunidade

 

As transformações no Jardim Campos Verdes vão além da urbanização e das novas casas: um novo espaço para o convívio e o exercício da cidadania foi construido e entregue à comunidade por voluntários da igreja Católica.
Inaugurado no dia 20 de outubro, o Centro Social Dom Bosco, localizado na Rua Monte Cristo, foi construído com dedicação e carinho pelos dizimistas e pastorais da Partilha e do Dízimo da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora de Londrina. Para a construção da obra, a Prefeitura de Cambé doou o terreno de 3 mil metros quadrados. A casa de 330 metros quadrados de área útil é estruturada com salas, banheiros e um amplo salão. No espaço, serão oferecidos à população, de forma gratuita, cursos de profissionalização como culinária, artesanato, corte e costura, além de catequese e eventos festivos. Idealizado há um ano, o Centro também oferecerá duas vezes por semana, além de ações da Pastoral da Criança, atendimento médico realizado por clínico geral e pediatra.
A gerência do espaço é por conta de um grupo de irmãs Salesianas Missionárias de Maria Imaculada, que está presente naquela comunidade desde 14 de abril deste ano. “Realizamos um trabalho pastoral que é muito gratificante. Com o Centro, vamos oferecer muitas atividades, como informática e ballet. A população está gostando da iniciativa e o nosso trabalho está apenas começando”, afirma a irmã Meire Augusthime.
A solenidade contou com a presença do prefeito João Pavinato, a vice-prefeita Maria Aparecida André Pascueto, do padre Romão Antonio Martini Martins, pároco da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora; Neide Olimpio, presidente da Associação de Moradores, além da comunidade que prestigiou a inauguração.
Quando funciona - O padre Romão Antonio Martini Martins informa que pelas obras do Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ no local, os cursos se iniciam no primeiro semestre de 2013, porém, o espaço já pode ser utilizado. “A construção do Centro Social é muito importante e vai ajudar a promover a comunidade, ofertando qualificação profissional através dos cursos. Será um ótimo lugar para crianças, onde todos receberão orientação sobre cidadania, dando mais qualidade de vida para as pessoas”, afirma o Padre. O Centro Social faz parte de um grande projeto que visa construir uma igreja nos fundos do terreno. (Reportagem de Rafael Carreri)

“Quando fui até a Prefeitura de Cambé e o prefeito João Pavinato me contou que o projeto iria iniciar, chorei de emoção”.

Moradora do Jardim Campos Verdes há 13 anos, Neide Olimpio, presidente da Associação de Moradores, relembra os tempos difíceis que duraram até poucos meses atrás: “Quando eu cheguei aqui, tinha vinte e cinco famílias. Algumas foram embora, outras voltaram e novas famílias chegaram. Aqui parecia que tinha passado um vendaval, tudo quebrado e cheio de mato. Só tristeza. Não tinha estrutura nenhuma”, diz a presidente, revelando o momento em que a triste realidade começou a mudar. “Para mim essa é a minha maior alegria. Quando fui até a Prefeitura de Cambé e o prefeito João Pavinato me contou que o projeto iria iniciar, chorei de emoção. Na hora, não tinha nenhum morador daqui comigo, não tinha quem abraçar e chorar junto. Queria compartilhar. Quando cheguei à vila e contei, ninguém acreditou. Só acreditaram quando os tratores entraram no bairro. Muitas autoridades passaram por aqui prometendo, mas nunca fizeram nada. O prefeito veio até nós e abraçou a causa. A ansiedade da comunidade é muito grande porque eles pensavam que isso nunca iria acontecer. É bonito ver os tratores nas ruas, as crianças correndo e todo mundo eufórico. Não vejo a hora de mudar para a casa nova, assim como todos os moradores. É uma alegria muito grande”, conta Neide.


“É muito bom conseguir apalpar de perto o valor da política social que muita gente critica”.
O padre Romão Antonio Martini Martins é pároco da Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, localizada na Rua Maringá, em Londrina, e tem atuado, juntamente com seus paroquianos,  em ações concretas de cidadania na comunidade do Campos Verdes há muitos anos. Ele falou para o CAMBÉ DE FATO da importância dos investimentos no bairro.
“É muito bom conseguir apalpar de perto o valor da política social do governo que muita gente critica. Os moradores do bairro não tinham condições alguma de conseguir toda essa estrutura que está sendo feita, como esgoto, pavimentação asfáltica, enfim, todas as obras necessárias. Isso faz a gente ver na prática o grande esforço que o prefeito de Cambé, João Pavinato fez para realizar essa obra”, declarou o padre Romão Martini. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário