domingo, 19 de fevereiro de 2012

Saúde investiga casos de botulismo

Da SeSa:

A Secretaria de Estado da Saúde (SeSa) está investigando dois casos de botulismo notificados no município de Alto Piquiri, noroeste do Estado. Os casos aconteceram em janeiro e a equipe do Centro de Informações Estratégicas e Respostas Rápidas de Vigilância em Saúde (CIEVS-PR) investiga e analisa a situação. Ambos foram tratados em hospitais de Umuarama, um se recuperou e o outro morreu.
“Os dois pacientes apresentaram histórico de ingestão de alimentos embutidos e sintomas compatíveis com o botulismo no mesmo período” afirmou o superintendente de vigilância em saúde, Sezifredo Paz. 
O alimento ingerido em uma das situações foi o Salsichão Piquiri em nylon, fabricado pela Indústria e Comércio de Carnes e Frios Richter Ltda, datado de 29/12/2011 e 13/01/2012. Os produtos foram encaminhados para realização de exames que confirmem a presença da toxina botulínica. “Como medida de prevenção fizemos a interdição cautelar destes alimentos” explicou Paz. 
CASOS: Os dois pacientes são homens, residentes de Alto Piquiri. O primeiro apresentou sintomas em 14 de janeiro, recebeu tratamento e morreu em 25 de janeiro. O segundo demonstrou sintomas no dia 25 de janeiro e após receber o soro antibotulínico apresentou resposta terapêutica positiva, com estabilização do quadro e posterior melhora. “A melhora do paciente com o tratamento por soro confirma o diagnóstico de botulismo avaliado pela equipe” destacou a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas e Respostas Rápidas de Vigilância em Saúde, Angela Maron de Mello.
Para o estudo dos casos foram avaliados registros médicos, contato com o paciente e familiares e entrevistas com os profissionais envolvidos no diagnóstico e assistência dos casos. “Foi realizado um estudo epidemiológico para obter informações sobre a distribuição dos casos e características da doença, com ênfase nos hábitos e costumes dos pacientes” explica Angela.
BOTULISMO: O botulismo é uma doença grave causada pela ingestão da toxina botulínica presente em alimentos embutidos, enlatados e em conserva produzidos em condições sanitárias precárias, o que permite a contaminação pelo esporo da bactéria Clostridium botulinum. Os principais sintomas são visão turva, visão dupla, saliva grossa, insuficiência respiratória, dificuldade para falar e engolir, náusea, vômito, diarreia, dor abdominal, vertigem, tontura e paralisia. 60% dos casos sem tratamento evoluem para a morte, que pode ocorrer entre 12 horas e 10 dias após a ingestão do alimento contaminado. O tratamento ocorre em regime hospitalar com soro específico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário