segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Richa libera R$ 10 milhões para obras da Copa em Curitiba e autoriza estudo para reduzir impostos do metrô


O governador Beto Richa liberou na sexta-feira (18) R$ 10 milhões para a prefeitura de Curitiba iniciar uma série de obras de melhoria da infraestrutura urbana da cidade para a Copa do Mundo da FIFA-Brasil 2014.
Richa e o prefeito Luciano Ducci também acertaram o início dos estudos para conceder isenção de impostos estaduais e municipais para as obras do metrô de Curitiba.
Esta é a primeira parcela de um pacote de investimentos do Governo do Paraná para o projeto da Copa apresentado por Curitiba. Pelo convênio, o governo vai repassar R$ 45 milhões para a prefeitura fazer as obras e o município repassará ao Clube Atlético Paranaense R$ 90 milhões em títulos de potencial construtivo, que podem ser vendidos no mercado imobiliário, para obter os recursos para concluir as obras, atendendo a todas as exigências do caderno de encargos da FIFA e da CBF.
 “Temos capacidade para ter em Curitiba a melhor Copa do Mundo entre todas as subsedes do Brasil e para isso estamos iniciando a liberação de recursos para obras de infraestrutura e mobilidade urbana”, disse o governador.
 Richa disse também que o metrô é aguardado pelos curitibanos há muito tempo e irá contribuir para a melhoria do transporte coletivo e das condições de trânsito na capital. Como prefeito de Curitiba, Richa foi o responsável por dar início à elaboração do projeto básico do metrô, que está concluído. “Agora entramos na fase de conversas com o governo federal na busca de recursos suficientes para o início das obras”, disse Richa.
 Para o prefeito Luciano Ducci, as duas parcerias acertadas no encontro com o governador trazem grandes avanços para a qualidade de vida na capital. “É um passo adiante na possibilidade de ter um metrô em Curitiba, além de avançarmos também com as obras da Copa”, disse Ducci.

Metrô
 O objetivo de conceder isenção de impostos para as obras do metrô é reduzir os custos do projeto, que será apresentado ao governo federal em abril, para concorrer com projetos de outras nove capitais. Os recursos estão previstos no PAC 2, o Programa de Aceleração do Crescimento, que tem R$ 18 bilhões para atender as nove cidades. Estudo feito pela Prefeitura de Porto Alegre mostra que a isenção de impostos, no caso da capital gaúcha, pode reduzir o custo das obras entre 20% e 25%.
 A primeira fase do projeto do metrô de Curitiba é a Linha Azul. São 14,2 quilômetros entre a estação CIC-Sul, próximo à Ceasa, e a Rua das Flores, no centro da cidade. O projeto está orçado em R$ 2,250 bilhões. No próximo dia 15 de março será realizada a audiência pública do licenciamento ambiental da obra. A previsão da prefeitura de Curitiba é inscrever o projeto no PAC 2 até o dia 3 de abril.

Nenhum comentário:

Postar um comentário