terça-feira, 3 de abril de 2012

Projeto de Lei transforma ExpoLondrina em feira oficial do Paraná

Do JL:

Os deputados aprovaram em segunda discussão o projeto de lei que institui a ExpoLondrina como a feira agropecuária oficial do Estado do Paraná. O texto passou por redação final ONTEM (3) e foi encaminhado para a sanção do governador.
A expectativa é de que Beto Richa (PSDB) sancione a lei durante visita oficial ao evento, amanhã (quinta/5).
A aprovação do projeto gerou descontentamento entre os presidentes de Sociedades Rurais de vários municípios paranaenses.
O texto do projeto, de autoria do deputado Hermas Brandão Junior (PSB), insere a realização da feira nos meses de abril de cada ano no calendário oficial do Estado e usa, entre outras justificativas, o fato de a ExpoLondrina ser a maior feira agroindustrial da América Latina. De acordo com a redação do projeto, o evento atrai pessoas de todas as regiões do Brasil e do exterior e movimenta milhões de reais todos os anos.

Descontentamento em Maringá - Por outro lado, os vereadores de Maringá manifestaram descontentamento ao projeto de lei que institui a ExpoLondrina como a feira agropecuária oficial do Paraná.
Em ofício encaminhado (3) para o presidente da Assembleia Legislativa, Valdir Rossoni (PSDB), a câmara maringaense declara que a aprovação da medida não traz benefícios ao setor agropecuário. O documento assinado por 14 dos 15 parlamentares aponta que se a lei for sancionada, mais de 20 outras feiras agropecuárias ficarão prejudicadas, pois a ExpoLondrina acabaria polarizando a atenção da mídia e de investidores.

Mas, não foram apenas os vereadores de Maringá que reclamaram do projeto de Lei. A escolha da Expolondrina como feira agropecuária oficial do estado causou descontentamento em pelo menos 12 Sociedades Rurais de outras regiões do Paraná, que enviaram ao governador uma carta afirmando que instituir a ExpoLondrina como a feira oficial diminui as mais de 20 outras feiras agropecuárias realizadas no Estado durante o ano inteiro.
A carta é assinada pelos presidentes das Sociedades Rurais das cidades e regiões de Maringá, Umuarama, Campos Gerais, Oeste, Noroeste, Toledo, Goioerê, Santo Antônio da Platina, Extremo Oeste, Pato Branco, Guaraniaçu e Palotina.

Em sua defesa, o deputado Hermas Brandão Junior (PSB) disse que o fato de instituir ExpoLondrina como evento agropecuário oficial do Estado não desmerece nenhuma outra feira no Paraná. Segundo ele, como a Feira do Paraná que era realizada em Curitiba foi extinta , era necessário instituir outra feira como oficial do Estado. “Nada mais justo que a feira de Londrina, a mais antiga e maior do Estado, receber essa honraria”, afirmou. Brandão informou que no ano passado realizou várias audiências públicas para discutir o projeto em diversas feiras rurais pelo Paraná.
“Cada um quer puxar sardinha para o seu lado, não dá para agradar todo mundo”, disse o deputado sobre os questionamentos dos presidentes das Sociedades Rurais de algumas cidades paranaenses. “Quando pensei na feira de Londrina, pensei pelo tempo de existência, não achei que iria dar tanta discussão e divergência. Como tem diversos pré-candidatos a prefeitos em municípios com feira houve um debate maior”, opinou.

O presidente da Sociedade Rural do Paraná (SRP), Gustavo Andrade e Lopes, disse que prefere esperar a decisão final do governador sobre o projeto para comentar o assunto. O objetivo de não se manifestar neste momento, segundo ele, seria para evitar mais polêmicas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário