quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

André Vargas fala sobre agenda do Congresso em 2012 e Copa de 2014

Da Assessoria:
Em entrevista nesta quarta-feira, 01/02, em Brasília, o deputado federal André Vargas lamentou o falecimento do deputado federal Moacir Micheletto (PMDB-PR), e fala sobre as principais votações do Congresso em 2012 e sobre as leis que vão estabelecer regras para a Copa de 2014.Sobre Micheletto, Vargas afirma que a bancada federal do Paraná perdeu um parlamentar muito importante no setor agrícola. Segundo ele, o deputado era uma liderança moderada e foi muito importante em todas as causas da agricultura, especialmente agora sobre o código florestal, onde soube fazer um debate equilibrado ao lado do atual Ministro Rebelo, que foi o relator do código, que ira ser concluído agora, inclusive como uma homenagem ao deputado Micheletto.
Vargas disse ainda que lamenta a morte de Moacir Micheletto e diz que agora todos precisam se esforçar para complementar o trabalho que o deputado vinha fazendo pelo Paraná e pela agricultura do Brasil.

Congresso 2012
Em relação à expectativa do Congresso em 2012, Vargas destaca que este ano será a uma agenda que tem impacto nos municípios. “Nós temos a questão dos royalties, que terá um forte impacto, a conclusão do código florestal, temos também que reavaliar o índice de FPM [Fundo de Participação dos Municípios]. Então nós vamos ter uma pauta bastante municipalista, nós temos uma obrigação constitucional de até o final do ano ter uma nova redistribuição do FPM”.
O Congresso deverá discutir ainda o fundo dos servidores do serviço público, que também é importante para equilibrar o orçamento da Previdência. “Assim como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica têm seu Fundo de Pensão, os servidores públicos deverão ter os seus fundos de pensão. Sendo o Judiciário, o Legislativo e o Executivo. É um projeto bastante complexo e muito importante”, explicou Vargas.
As tarifas de cartões de crédito também voltam a ser debatidas. Segundo o deputado, este é um assunto que a presidenta Dilma Rousseff tem muito carinho e vai querer fazer valer essa redução de taxa de juros e adequação do sistema de cartões de crédito.
André Vargas avalia ainda que, do ponto de vista político, as eleições municipais influenciam, pois existirá uma agenda eleitoral para discutir as eleições e o simbolismo dela, principalmente nas grandes capitais e nas grandes cidades, tendo em vista que a base aliada deve estar unida em virtude da eleição nacional que ocorre em 2014.
Para Vargas, em resumo, os grandes desafios do PT para 2012 são os de governar bem e legislar bem. “Esse é o grande desafio, continuar governando bem, apoiando o governo da presidenta Dilma a fazer um bom trabalho no parlamento em favor dos municípios do Brasil. E, fundamentalmente, deixar organizada a base política para que o País continue crescendo, enfrente a crise econômica, para que fique de olho na crise e tome as medidas aqui dentro”.

Projetos da COPA
De acordo com o deputado André Vargas, a lei da Copa deverá ser concluída neste semestre por conta da necessidade de ter um balizamento legal para o próximo ano. “Há questões em que o Brasil avançou muito, como no comportamento das torcidas, da racionalidade, da organização dentro dos estádios, principalmente, coibindo o uso de bebidas alcoólicas dentro dos campos, até porque não será este uso que vai dar o rendimento que a Copa precisa, então nós precisamos manter firme e discutir com a questão das gratuidades, creio que isso também não haverá problemas.”
Na questão de viabilidade econômica é possível que o Brasil faça algumas concessões para que o evento ocorra. “Tendo em vista que a Copa do Mundo é um evento único, o qual a última vez que ocorreu no Brasil já faz 60 anos. Será preciso fazer algumas concessões para que seja um evento de sucesso”, observou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário