sábado, 6 de agosto de 2011

Nova Assistência Social ajuda a transformar a vida das pessoas

Do Cambé de Fato:

 


Até a bem pouco tempo, o termo Assistência Social era confundido com assistencialismo e caridade feita para pessoas necessitadas, nem sempre com critérios técnicos e acompanhamento profissional. Esta realidade mudou em Cambé e está mudando em boa parte do país.
Em Cambé a Secretaria de Assistência Social vem trabalhando, desde o início de 2009, com uma nova ótica e de uma forma  bem mais interessante para as 10 mil famílias que são atendidas na cidade. 
Para começar a mudança, o atendimento das famílias não é feito mais na sede da Secretaria, como em outros tempos. “Antes de 2009, a cidade tinha apenas uma unidade do CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) com uma estrutura bem pequena e inadequada para atender a população”, diz a secretária municipal de Assistência Social, Angela Cristina Pascueto Amaral. “Logo que assumimos a Secretaria, com o apoio do prefeito João Pavinato conseguimos descentralizar o atendimento com a implantação de mais três CRAS”, lembra a secretária, completando que hoje a cidade conta com quatro unidades do CRAS,   onde o atendimento é feito por profissionais qualificados. Com os novos CRAS, são atendidos as regiões do Ana Rosa, Novo Bandeirantes, Santo Amaro e Centro. A Secretaria também disponibiliza atendimento em unidades de apoio no nos centros comunitários dos jardins Tupi, Josiane e Campos Verdes.
A partir da estruturação da rede de atendimento em toda a cidade, a Assistência Social implantou também projetos que têm revolucionado a vida dessas famílias. “Antes da mudança, o espaço do CRAS não eram percebido como um local de transformação, mas sim como um lugar de assistencialismo e de caridade, com a obrigação de oferecer a superação da pobreza a partir de uma política assistencialista”, diz a secretária.

Orientação para as famílias - O atendimento que já vem sendo realizado em Cambé, através dos CRAS e também do Centro de Referências Especializados em Assistência Social (CREAS),  já está nos moldes do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), cuja criação foi sancionada recentemente pela  presidente Dilma Rousseff (veja box).
Seguindo os novos padrões, a Assistência Social de Cambé tem atuado com o objetivo de ajudar e mudar a realidade das pessoas. Com um novo olhar mais amplo e transformador, a Secretaria de Assistência Social tem como prioridade a família, e não somente a criança, o adolescente, o idoso ou as mulheres, de forma separada. “Nosso trabalho é focado na família como um todo. Por meio dos grupos, nós ajudamos essas famílias a traçarem um caminho onde elas possam conquistar uma melhor qualidade de vida através do atendimento psicológico, encaminhamento para o mercado de trabalho e fortalecimento de vínculos familiares”, explica a secretária, informando que também são feitas orientações alertando sobre assuntos como drogas, alcoolismo e violência, entre outros e auxiliando no processo de conquista de emprego e qualidade de vida. Nesse amplo contexto, a Secretaria desenvolve projetos que visam estimular as famílias, garantir cidadania, inclusão social e gerar renda a partir da realização de oficinas como manicure, artesanato e corte de cabelo.
Esses projetos em questão são voltados para mulheres de diferentes faixas etárias que se interessam buscar superação para sua realidade e trocar experiências que possam ser usadas diariamente para melhorar a qualidade de vida familiar. Nas oficinas realizadas, as crianças que acompanham as mães também são beneficiadas com atividades educativas e jogos na brinquedocras. No entanto, mesmo com toda a transformação, os CRAS continuam a realizar o trabalho preventivo junto à comunidade como proteção social básica, atendimento do Bolsa Família e visitas às residências. Nesse contexto, estão incluídas as atividades de convivência sendo destinados a famílias e indivíduos em situação de vulnerabilidade social, decorrentes da pobreza ou fragilização de vínculos afetivos e sociais. Para Roselei Carvalho da Silva, assistente social no CRAS do jardim Bandeirantes, as oficinas realizadas, além de oferecerem às participantes novas oportunidades, também elevam a autoestima das mulheres. “A maioria das mulheres que ingressam nas oficinas são donas de casa que não tiveram oportunidades devido a sua condição financeira”, diz Roselei. “Com os projetos, além de proporcionarmos um aprendizado a essas mulheres, também trabalhamos a questão emocional para que elas estejam mais fortalecidas e preparadas para lidar com os possíveis conflitos familiares”, completa a assistente social.

Mais profissionais - Esta reformulação no atendimento da Assistência Social só foi possível graças a contratação de 23 novos profissionais, entre eles, 12 assistentes sociais, quatro psicólogos, cinco agentes e dois agentes sociais, todos contratados por concurso público pela Prefeitura de Cambé. “Desde o início priorizamos o atendimento das pessoas e das famílias. Eu tinha o compromisso de colocar profissionais na condução da Secretaria de Assistência Social e foi isso que fizemos, desde o inicio”, diz o prefeito João Pavinato, que autorizou pessoalmente os investimentos na contratação de pessoal e criação da nova estrutura para a Assistência Social de Cambé. “Sem o apoio integral do prefeito João Pavinato e da vice-prefeita Cidinha Pascueto, não seria possível esta transformação positiva no atendimento da Assistência Social em Cambé”, revela a secretária Angela Cristina Pascueto Amaral, lembrando que muito ainda há para ser feito na área. “Estamos apenas começando e precisamos da ajuda de todos para que as famílias possam deixar a zona de pobreza ”. diz a secretária. (Reportagem de Fábio Bortoloto).
A secretária Angela Cristina Pascueto Amaral ressalta o trabalho que vem sendo feito pela equipe da Secretaria, mas valoriza também as atuações das entidades assistenciais: “Estamos construindo a rede de Assistência Social de Cambé, que envolve todas as iniciativas de atendimento ao público. Também temos procurado trabalhar em sintonia com esta rede e isto tem dado um bom resultado tanto para as famílias como para as entidades”, diz ela.  

8ª Conferência de Assistência Social incentiva participação dos usuários
Com o tema “Consolidar o SUAS e Valorizar seus Trabalhadores”, foi realizada no último dia 29 a 8ª Conferência Municipal de Assistência Social. A Conferência teve como objetivo debater e aprovar as propostas que foram discutidas nas pré-conferencias realizadas nas áreas de abrangência dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS). Uma das novidades, é que, partir de agora, os usuários também passam a fazer parte do Conselho Municipal de Assistência Social de Cambé. Antes, somente integrantes do poder público e da sociedade civil organizada podiam compor o conselho. Em relação ao Sistema Único de Assistência Social (SUAS), ele organiza as ações da assistência social em dois tipos de proteção social. A primeira é a Proteção Social Básica, destinada à prevenção de riscos sociais e pessoais, por meio da oferta de programas, projetos, serviços e benefícios a indivíduos e famílias em situação de vulnerabilidade social. A segunda é a Proteção Social Especial, destinada a famílias e indivíduos que já se encontram em situação de risco social.
Durante a Conferência, a secretária de Assistência Social, Ângela Cristina Pascueto Amaral, ressaltou a importância da participação de representantes de entidades e dos usuários para fortalecer o SUAS no Município. “Nós buscamos a cada dia oferecer mais cidadania para os nossos usuários através do trabalho realizado diariamente por todos os integrantes da nossa equipe”, disse. “E agora, com a participação da comunidade e também dos usuários, nós podemos dar novos rumos para a nossa caminhada em benefício do cidadão”. O prefeito João Pavinato também se fez presente e, no seu discurso endossou as palavras da secretaria de Assistência Social. O prefeito, ainda, fez questão de destacar a importância do Conselho para melhorar ainda mais a qualidade do trabalho realizado pela Assistência Social no Município. Ainda de acordo com o prefeito, hoje a Assistência Social de Cambé é muito mais do que apenas oferecer ajuda para os mais necessitados. “Hoje, em Cambé, a Assistência trabalha com uma visão mais ampla, e que gera resultados positivos para os assistidos”, disse. “O assistencialismo deu lugar às ações que ajudam a melhorar a qualidade de vida das famílias. Através do trabalho sócio educativo com as famílias, das oficinas realizadas e do resgate da dignidade, as famílias estão mais fortalecidas graças ao trabalho da Assistência Social”, disse o prefeito.
A professora formada em Serviço Social pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em Políticas Sociais, Denise Maria Funk de Almeida foi convidada para proferir uma palestra sobre as políticas públicas voltadas para a assistência social. De acordo com ela, é um desafio muito grande para o setor  se fortalecer e se consolidar na sociedade. “Culturalmente as políticas da assistência social são vista ainda com preconceitos”, disse. “Isso já está mudando, hoje, quando falamos de ações voltadas para o setor, nós estamos nos referindo a serviços de qualidade prestados para a população”, observa (F.B.)


 Novas oportunidades
Maria Siqueira da Silva é uma das beneficiadas pelos projetos desenvolvidos pelo CRAS do jardim Santo André. A dona de casa há mais de 30 anos é moradora do jardim Santo Amaro e está muito satisfeita com o trabalho realizado pelo CRAS da sua região. “Essas oficinas são muito importantes para mostrar que o trabalho desenvolvido aqui pode ajudar muitas famílias. Desde 2010, eu e minha filha começamos a participar das oficinas de cabeleireiro e artesanato”, conta a moradora. Ainda de acordo com Maria Silva, as oficinas também proporcionam momentos de integração entre todas elas. “Além de estarmos aprendendo uma profissão, nós passamos momentos agradáveis”, frisou. “Além disso, quem tem criança pode ficar tranqüila porque as assistentes cuidam com muito carinho enquanto as mães realizam os trabalhos de manicure e cabeleireiro”, completa. De acordo com a Secretaria de Assistência Social, no Santo André, cerca 20 mulheres participam da oficina de artesanato, enquanto que outras 15 frequentam as aulas de manicure e cabeleireiro.
Outra integrante dos projetos nos CRAS é Maria Rosa dos Santos, ela é uma das 15 mulheres que participam da oficina de pintura realizada no CRAS no jardim Novo Bandeirantes. Para a dona de casa, é muito importante que a Secretaria de Assistência Social desenvolva projetos que ofereçam uma oportunidade para que as pessoas também possam gerar renda. “Eu me sinto muito bem participando dessas aulas. Gostaria que fosse o dia inteiro”, diz. “Pretendo praticar bastante em casa e comercializar esses produtos depois”, conta Maria Santos. Segundo a Assistência Social, as participantes receberam da prefeitura todos os materiais que serão utilizados durante os três meses de oficina. Todas as toalhas e guardanapos produzidos durante a realização do curso ficam com as alunas. Outra participante que compartilha da mesma opinião é Rosalina Trindade Maronesi. Ela está muito satisfeita em ter recebido o convite para participar das aulas de artesanato. “Todos os meses eu venho pegar uma cesta básica no CRAS”, diz. “Fiquei muito feliz em ter essa oportunidade de participar desse curso. Para mim está sendo muito bom participar desse projeto, porque além de estar praticando algo bem prazeroso, eu também pretendo gerar uma renda a partir desse aprendizado”, ressalta Rosalina Trindade Maronesi.

Dilma cria o SUAS
O modelo de atendimento implantado em Cambé desde 2009 já está nos moldes do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), cuja criação foi sancionada recentemente pela  presidente Dilma Rousseff.
Um dos maiores defensores da criação do SUAS, o deputado federal André Vargas, esclarece que em alguns aspectos, o novo sistema funcionará muito semelhante ao Sistema Único de Saúde (SUS). “É um sistema descentralizado, portanto as transferências de recursos da Assistência Social serão feitas integralmente, do fundo nacional para os estaduais e dos estaduais para os municipais”, lembra Vargas também informou que este é um projeto paralelo de outros projetos de combate a pobreza que estão sendo implantados no País. “Essa é uma estratégia adotada pela presidenta Dilma, para erradicar a extrema pobreza do Brasil”, comenta o deputado federal André Vargas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário