quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Índice de infestação do mosquito da dengue cai para 0,1 em Cambé

Da Assessoria:


O Levantamento de Índice Rápido de Infestação do Aedes Aegypti (LIRA’a), o mosquito transmissor da dengue, caiu em Cambé para 0,1% de acordo com a coordenação e a supervisão do Programa de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde.
O índice foi detectado no levantamento feito no período de 22 a 26 de agosto deste ano, período incluído no 3º LIRA’a/2011. Segundo a coordenadora Célia Koyama e a supervisora Simone Aguiar, o levantamento anterior, de 25 a 29 de abril, incluído no LIRA’a/2011, apresentou índice de infestação de 2,9%.
Célia e Simone atribuem o resultado ao intenso trabalho realizado no município para combater o mosquito transmissor da dengue. Além das ações dos agentes nos bairros e na região central de Cambé, mutirões de limpeza são realizados inclusive no inverno, quando caminhões recolhem materiais que podem acumular água e são potenciais criadouros das larvas do Aedes aegypti.
A queda no índice de infestação também é resultado das operações intensificadas a partir de 2010, quando a dengue atingiu fase crítica em Londrina. Devido a proximidade com o município vizinho, os mutirões de limpeza pente fino passaram a ser realizados em 100% do município.
“Os agentes entraram nos imóveis, fundos de vale, terrenos vazios e outros locais de risco para recolher garrafas, pneus, sacolinhas plásticas, embalagens impermeabilizantes de doces e salgados e até vasos sanitários depositados em quintais”, exemplificam Célia e Simone.
Em bairros com maior índice de ocorrências, como o Novo Bandeirantes, o Silvino e o Ana Rosa, foram realizados de dois a três mutirões pente fino. Nessa operação, o Programa de Endemias recolheu cerca de 90 caminhões de materiais que acumulam água.
Outra ação foi com as equipes de educação, que desenvolveram trabalhos nas escolas, empresas, supermercados, feiras livres e no Calçadão da Vila Brasil, informando sobre a dengue e orientando sobre os cuidados necessários para evitar a proliferação da doença.
O Programa de Endemias foi também nos chamados pontos estratégicos, que inclui borracharias e oficinas, onde foram exigidos, em alguns casos, ações mais severas, uma vez que as notificações deixavam de ser acatadas.
Com o apoio do Ministério Público, alguns proprietários desses estabelecimentos foram inicialmente intimados, havendo, na seqüência, os que sofreram multas por manterem nos locais materiais que acumulam água.
A realização de blitzes educativas e a divulgação de material com informações e orientações sobre a dengue também fizeram parte das ações. Paralelamente, os proprietários de terrenos vazios foram notificados a manterem limpos os seus imóveis. Nos casos notificados e confirmados, foram desenvolvidos o trabalho de aplicação de insenticida com a bomba costal, o que não dispensou o uso do veículo fumacê, da 17ª Regional de Saúde.
O fumacê passou por 100% do município e nas regiões onde as notificações eram mais intensas, o veículo cumpriu seis ciclos de aplicação de insenticida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário