quarta-feira, 6 de julho de 2011

Crônica: Os três maiores


Um dia antes de o Sercomtel completar 43 anos, a ex-primeira-dama de Londrina, Adelina Hosken de Novaes faleceu. Dona Adelina tinha 87 anos e foi ao encontro de José Hosken de Novaes, morto em 2006, ele que foi prefeito de Londrina de 1963 a 1969. Aliás, foi ele quem fundou o Sercomtel, ainda como Serviço de Comunicações Telefônicas de Londrina, (daí a sigla, com as três primeiras letras de cada palavra –SerComTel) em 06 de julho de 1968. O falecimento de dona Adelina e o aniversário da maior criação de seu marido me fez lembrar que meu pai, seo Luiz, sempre dizia que “Londrina havia tido três grandes prefeitos: Hosken de Novaes, Milton Menezes e José Fernandes Sobrinho”.  Morto precocemente aos 47 anos (em abril de 1987), meu pai nasceu em 04 de setembro de 1939, no então novíssimo município de Londrina, criado cinco anos antes. Órfão de mãe logo no parto, Luiz era o nono filho de Laudelino Lazari e Tereza Crippa Lazari, e foi criado pela irmã mais velha Catarina (a única casada) e pelo cunhado Paulo Marquezini. Paulo, aliás, era dono da Galeria Marquezini, localizada no térreo do Edifício Tókio, na movimentada Rua Sergipe, bem ao lado da Rodoviária de Londrina (aquela projetada por Vilanova Artigas). Luiz Lazari viveu sua juventude na Londrina dos anos 50. Estudou no Colégio Londrinense, fez Tiro de Guerra, foi sócio do Londrina Country Clube e tinha uma lambreta. Culto, gostava de música clássica e sempre estava bem informado do que acontecia no seu tempo. Curiosamente, meu pai não gostava de política e dos políticos, por isso, confesso que nunca entendi a admiração dele para com os três prefeitos que ele citava. Hoje, ao ler a notícia da morte de dona Adelina, decidi buscar algumas informações sobre os três. Encontrei-as, resumidamente no site da Prefeitura de Londrina. Vamos a elas.
Milton Ribeiro de Menezes, foi prefeito de Londrina de 1951 a 1955 e depois de 1959 a 1963. No primeiro mandato, concentrou-se em obras de saneamento e nos serviços de pavimentação. Construiu praças e jardins públicos, a Casa da Criança e o Horto Florestal. O IBAM (Instituto Brasileiro de Administração Municipal) o considerou o melhor prefeito do país. Menezes formou-se em Direito pela Faculdade de Direito de São Paulo. Foi promotor público em Londrina, vereador, presidente do Legislativo local e presidente da 1ª Junta de Conciliação e Julgamento do norte do Paraná. Foi eleito suplente de senador e exerceu mandato na alta câmara do país. Ocupou a chefia da Casa Civil nos governos de Leon Peres e Parigot de Souza. Em seu segundo mandato, Menezes tratou de dar prosseguimento às obras de saneamento, criando o Departamento de Água e Esgotos que iniciou o abastecimento de água potável para a população. Criou também o Código de Obras, baseando-se em um modelo do prefeito de São Paulo, o senhor Prestes Maia.
Antonio Fernandes Sobrinho foi prefeito de Londrina de 1955 a 1959. Nascido em Guará, cidade de São Paulo, cursou a Escola Técnica do Comércio José Bonifácio em Santos. Foi presidente da Sociedade Rural do Paraná, já na época, uma entidade com muita força política. Na sua gestão, foram criadas as bases do ensino superior de Londrina. Construiu a Concha Acústica, estação de passageiros no aeroporto, ampliação do serviço de água e esgotos, a CAAPSML e o Lago Igapó.
José Hosken de Novaes dirigiu Londrina de 1963 a 1969. Mineiro da cidade de Carangola fixou-se em Londrina no ano de 1941. Advogado formado pela Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, Hosken chefiou o Departamento Jurídico da Prefeitura de Londrina no primeiro mandato de Milton  Menezes. Em seu governo, Hosken teve um sentido altamente humanitário, voltado inteiramente para as pessoas de menores recursos. Criou o Serviço de Assistência Médica Municipal e Pronto Socorro Odontológico. Aplicou grandes recursos na área de educação, expandiu o Serviço de Água e Esgotos. Criou o SERCOMTEL (Serviço de Comunicação Telefônica de Londrina) e a COHAB-Ld (Companhia de Habitação de Londrina), que construiu as primeiras casas populares em Londrina.
Em suma, os três senhores que meu pai me ensinou a não esquecer, dirigiram Londrina de 1951 a 1969. Em seu primeiro mandato, Milton Menezes foi o terceiro prefeito eleito de Londrina, sucedido por Antonio Fernandes Sobrinho, a quem sucedeu (em seu segundo mandato). Hosken de Novaes, que trabalhou com Milton Menezes no primeiro mandato, foi sucessor dele após seu segundo mandato.
Estes três senhores, em quatro mandatos (18 anos), foram os responsáveis por boa parte da estrutura da cidade que nascia e que tinha inúmeros problemas. A criação do serviço de abastecimento de água, do Sercomtel, a construção do Lago Igapó, de praças, a criação do serviço de assistência médica (quando o SUS nem era sonhado), a construção do Horto Florestal, a criação da Cohab, entre outras obras e contribuições são um legado que Londrina não pode esquecer.
Sem querer fazer comparações ou permitir que o assunto seja usado para isto, e também sem desmerecer outros tantos que também deram suas contribuições, reproduzo apenas a visão histórica do meu pai, um londrinense da gema, que já não está aqui para contá-la, mas que viveu aquele tempo e foi testemunha de que bons homens fazem, de fato,  a diferença na história de uma cidade. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário