quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Paraná gera 14.954 empregos e atinge recorde para janeiro

Da AEN:



O Paraná gerou 14.954 empregos com carteira assinada no mês passado, o melhor desempenho histórico para janeiro. O interior do Estado foi responsável por grande parte das contratações (9.094), enquanto a Região Metropolitana de Curitiba criou 5.860 postos. Os números são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego, nesta quinta-feira (24). 

A taxa de crescimento do Paraná em relação ao estoque de mão de obra foi de 0,63%, maior que a média do País (0,42%). Os dados mostram que, no acumulado dos últimos doze meses, o montante de empregos gerados atingiu 151.442. 

De acordo com o secretário estadual do Trabalho, Luiz Claudio Romanelli, são 2.505.419 paranaenses trabalhando com carteira assinada. “Os números apontam que o Paraná continua com a economia aquecida, gerando empregos e abrindo grande quantidade de vagas”. Romanelli afirma que, só no Sistema Público de Emprego, há 20 mil ofertas de trabalho e a meta do governador Beto Richa é promover o encontro entre trabalhador e empregador, o que vai aumentar ainda mais o número de contratações. 

SETORES - A indústria de transformação foi o setor que mais gerou empregos, com 5.860 contratações. Só o subsetor industrial têxtil e de vestuário somou 1.400 postos, já a indústria mecânica foi responsável por 954 vagas e a metalúrgica, 787. Em seguida, aparecem materiais elétricos e de comunicação (670), transporte (618), couro e borracha (532) e madeira e mobiliários (502). 

O setor de serviços foi o segundo que registrou maior número de contratações, foram 5.460, com destaque para o subsetor de alojamento e alimentação, que abriu 2.239 vagas. A atividade imobiliária gerou 2.020 empregos, enquanto os serviços de transporte e comunicação criou 625 postos e a medicina e odontologia, 513. 

O destaque fica para a construção civil que, mês a mês apresenta crescimento. Em janeiro, foram 3.704 novos empregos gerados. O comércio apresentou saldo negativo de 163 empregos. Outros dois setores também tiveram decréscimo em janeiro: agropecuária (-192) e administração pública (-29). A utilidade pública contratou 267 pessoas e a extrativa mineral abriu 47 vagas. 

BRASIL - Segundo os dados do Caged, em todo o País foram gerados 152.091 empregos no mês passado, segundo melhor resultado para janeiro, ficando atrás apenas do ano passado (184 mil empregos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário