domingo, 18 de abril de 2010

Por que nossos deputados estaduais se calam?

Começa mais uma semana. O mês de abril segue seu rumo e aproxima-se de seu fim. As denúncias sobre o MAR DE LAMA no qual afunda a Assembléia Legislativa do Paraná continuam diariamente nas páginas da Gazeta do Povo e nos telejornais da RPC TV.
A sociedade organizada pede, ainda que de forma tímida, a saída da mesa diretora da AL. Estudantes, em ação organizada e legítima, invadem o plenário da AL e pedem, da mesma maneira, a saída da mesa diretora.
Até agora, nada. O MP faz seu trabalho sem pressa e a PF parece um pouco mais interessada em chegar ao fundo da questão.
Na última sexta-feira terminou o prazo para o recadastramento dos funcionários da Assembléia Legislativa. Imagine o leitor: a AL sequer sabia o real número de funcionários e comissionados e teve que recadastra-los.
Segundo a Gazeta, o número de funcionários e comissionados por parlamentar na AL do Paraná, é um dos maiores do país. São 45 funcionários para cada deputado estadual, em média. Em Minas Gerais, a proporção é 40 para cada deputado. No Rio Grande do Sul, são 30 funcionários para cada deputado.
Somente no 'posto de atendimento médico' da AL, são 18 (dezoito) médicos contratados. Bem mais que muitos hospitais do interior. O posto médico da AL tem mais médicos que 338 cidades das 399 do Paraná. Em outros números, a AL tem mais médicos que 84,7% dos municípios do Paraná. A AL tem ainda vagas para músicos, barbeiros e outras profissões, sempre com altos salários. A pergunta inevitável: precisa?
Falando em altos salários, a AL pagou em cerca de seis anos, perto de 57 milhões de reais em altos salários, acima do permitido pela legislação e o pior, em alguns casos, para pessoas que sequer moram no Paraná. Muitos deles, parentes de deputados, de seus assessores ou de membros da direção da AL. Até um morto foi contratado e teve salário na AL nos últimos anos.
Tudos isso e muito mais está acontecendo na Assembléia Legislativa do Paraná e o mais estarrecedor: nenhum deputado vem à público criticar estes desmandos.
A pergunta que faço, é a que ouço nas ruas: ONDE ESTÃO OS DEPUTADOS DO PARANÁ?
Por que os deputados, principalmente os da região de Londrina, não criticam os desmandos da mesa diretora da AL?
Os deputados da nossa região concordam com os altos salários, com o morto que recebia, com o número exagerado de funcionários, com as 'redes de parentes e amigos' de assessores e de diretores da AL, enfim com tudo o que está sendo denunciado?
Se não concordam, por que se calam???

A imprensa (este espaço, humildemente, inclusive) está ávida pelas declarações dos deputados da região de Londrina, mas muito especialmente pelo representante de Cambé na AL, Durval Amaral.
Pena que nenhum deles, Durval Amaral inclusive, vem à público para manifestar seu total descontentamento com a mesa diretora da AL e pedir a saída imediata do deputado Nelson Justus da presidência, juntamente com os demais membros da direção da Casa de Leis.
Esta postura é a que a sociedade espera e exige de seus representantes.
Esperamos o pronunciamento de Durval Amaral, deputado estadual por Cambé e também dos demais deputados estaduais da nossa região.

Nenhum comentário:

Postar um comentário